quarta-feira, 30 de julho de 2014

ESCATOLOGIA - ESTUDO 01






OS SETE TIPOS DE IGNORÂNCIA SOBRE A MORTE
1 Ts 4.13-18

ü Se existe um assunto que não gostamos de falar ou pensar é exatamente sobre a morte...

ü Woody Allen, o famoso ator e diretor de cinema ao ser entrevistado, o jornalista lhe pediu duas definições: Fale sobre a vida....Fale sobre a morte...(“Sou contra!!!...)

ü Por mais que não gostemos... A morte é uma coisa certa:    Eclesiastes 3.20  “Todos vão para um lugar, todos são pó e todos ao pó tornarão...”

ü Desde os tempos antigos, o homem busca uma forma de driblar a morte...A busca pelo elixir da eterna juventude.  

ü No ano de 99, um querido pastor amigo pediu-me que trouxesse um remédio (inventado por um cientista brasileiro da Universidade de Harvard – USA), e que eu entregasse para o pastor Pimentel (naquela altura, já em avançada idade).

ü A morte é um passo inevitável que todos damos.   O rei Daví disse em 1 Samuel 20.3  “Há apenas um passo entre mim e a morte...”  (para alguns o passo é mais longo – vivem mais;  para outros é um passo mais curto – vivem menos, vivem pouco).

ü Ilustração: Inscrição na entrada de um cemitério em Paraibuna, São Paulo...

ü Ilustração: O servo do sultão que tinha medo da morte – encontra a morte na feira – foge para Bagdá

ü 1 Ts 4.13   Não quero porém irmãos que sejais ignorantes acerca dos que já dormem, para que não vos entristeçais, como os demais que não tem esperança.”

ü Explicação histórica:  Um dos momentos mais cruciais para os crentes de Tessalônica, era quando alguém morria.  Tudo porque aquela igreja havia recebido a influência de ensinos errôneos sobre o destino dos mortos.  Eles estavam ignorando a verdadeira esperança – a glória da Ressurreição.   Então o apóstolo Paulo lhes escreve, ensinando a eles, que a vida não acaba num caixão, nem em um cemitério.

ü Paulo ensinou esta doutrina  em suas Epístolas:   Rm 8.35-39;  Fp 1.21-23;  3.20,21;  Rm 14.8

ü Partindo de 1 Ts 4.13 – Desejo chamar a vossa preciosa atenção para SETE TIPOS DE IGNORÂNCIA SOBRE A MORTE


1.    IGNORAR QUE A MORTE NÃO É O FIM

ü A filosofia do homem sem Deus é dizer que não há Deus – Sl 14.1

ü O pensamento deste mundo é dizer:  “Comamos e bebamos, porque amanhã morreremos.”

ü A Palavra de Deus nosso fundamento nos garante que a morte não é o fim.

ü Ilustração:  Disse certo crente na hora da morte:  “Estou fechando os meus olhos para enxergar melhor...”

ü Sabemos que o fim é um novo começo. Sabemos que além do cemitério existe um lar feliz, existe uma maravilhosa Luz que é Jesus:

ü Ilustração:  (Meu pai – e a visão da cidade celestial)

ü Ilustração:  Uma luz além do cemitério – menina...


2.    IGNORAR QUE EXISTE CONSCIÊNCIA APÓS A MORTE

ü Uma corrente teológica muito forte, ensina a doutrina do sono da alma – Também conhecida como: Psicopaniquia

ü Tal doutrina diz que por ocasião da morte – a alma adormecida fica no túmulo com o corpo até a ressurreição.

ü Lucas 16.22-25;    Lucas 23.42,43;      Ap 6.9,10



3.    IGNORAR QUE HAVERÁ JUÍZO APÓS A MORTE – Hb 9.27

ü Cada um dará conta de si mesmo a Deus, por tudo o que fez através do corpo – Dn 12.2

ü Antes da nova Terra e do novo Céu haverá o Juízo Final – Ap 20.11-15

ü Ilustração:  Era comum na Idade Média, os mongens ao se encontrarem, dizerem:  “MEMENTO, FRATER MORIERES...”   LEMBRA-TE IRMÃO QUE MORRERÁS...


4.    IGNORAR QUE AS VERDADEIRA RIQUEZAS SÃO ESPIRITUAIS

ü É possível ser um rico-pobre ou um pobre-rico....

ü Jesus nos ensina isto na Parábola do rico e de Lázaro em Lucas 16

ü Pv 13.7  “Há quem se faça rico não tendo coisa nenhuma, e quem se faça pobre, tendo grande riqueza.”

ü Então é possível ser um pobre-rico ou um rico-pobre -  Ap 2.9 – Esmirna – Era pobre, mas rica                              - Ap 3.17 – Laodicéia – era rica, mas pobre

ü Ilustração -  O fazendeiro rico que sonhou – Vai morrer hoje as 23 hr, o homem mais rico da região.

5.    IGNORAR QUE A ESPERANÇA VERDADEIRA VAI ALÉM TÚMULO

ü Provérbios 14.32  “Pela sua malícia será lançado fora o ímpio, mas o justo até na sua morte tem esperança.”

ü Dwith Moody:  “Quando saír a notícia:  Moody morreu…Então digam....Moody não morreu...mudou de endereço!

ü Discordo do adágio popular, que diz que a esperança é a última que morre...  (A Esperança da Igreja não morre!)

ü 1 Ts 4.13 – Não somos como os demais que não tem esperança. Nós temos esperança

ü Existem 3 grupos na Terra:                                                                   1º. Aqueles que estão no mundo sem Deus e sem esperança                                                                                                 2º. Aqueles que possuem uma falsa esperança                                         3º. Aqueles que possuem uma viva e verdadeira esperança (1 Pe 1.3)(Rm 5.2) (Rm 12.12)

ü 4 aspectos de nossa Esperança:
1º.) Esperamos Jesus – 1 Ts 1.10
2º.) Esperamos ir com Jesus – Jo 14.1-3
3º.) Esperamos ficar com Jesus – 1 Ts 4.17
4º.) Esperamos ser como Jesus – Fp 3.20,21;  1 Jo 3.2;  Sl 17.15
6.    IGNORAR QUE AS NOSSAS OBRAS NOS SEGUEM APÓS A MORTE

ü Ap 14.13   “E ouvi uma voz do Céu, que me dizia:  Escreve:  Bem aventurados os mortos que desde agora morrem no Senhor.  Sim, diz o Espírito, para que descansem dos seus trabalhos, e as suas obras os sigam.”

ü Outra referência que confirmam esta verdade:                        1 Co 3.10-15

ü Ap 22.12 - A promessa de galardão é baseada nas obras realizadas aqui na Terra para Deus

ü Se as nossas obras nos seguem na Eternidade...Façamos o nosso melhor para Deus ...

ü - Ilustração: (Abinadabe Marcelino e as mãos cheias...)


7.    IGNORAR  A VERDADE DA RESSURREIÇÃO – 1 Ts 4.13-18


Pastor Marcos Antonio
 

quarta-feira, 25 de junho de 2014

A NOIVA (A IGREJA) COMO UM JARDIM FECHADO




Cantares 4.12-16

·       Quais as razões por que o noivo (o rei Salomão) comparou  sua Noiva com um Jardim fechado:

1ª.) Para exaltar a pureza de sua noiva (ela era virgem)
- De igual modo a Igreja – Ef 5.25-27

2ª.) Para identificar que ela lhe pertencia: 
Note que Salomão não a compara com um Jardim público. Mas, um jardim particular...que tem um proprietário.
- De igual forma, nós somos propriedade exclusiva do Senhor – Tt 2.14

Em Isaías 58.11  -  Somos o Jardim regado
“E o Senhor te guiará continuamente, e fartará a tua alma em lugares secos, e fortificará teus ossos; e serás como um jardim regado, e como um manancial, cujas águas nunca faltam.”

Em Isaías 61.3 – Somos o Jardim plantado pelo Senhor
“A ordenar acerca dos tristes de Sião que se lhes dê ornamento por cinza, óleo de gozo por tristeza, vestido de louvor por espírito angustiado; a fim de que se chamem árvores de justiça, plantação do Senhor, para que Ele seja glorificado."


·       Aqui em Cantares 4.12 – Somos o Jardim fechado
Que com a ajuda do Espírito Santo, vamos caminhar por este jardim...E conhecer o seu lindo pomar...suas árvores frutíferas e medicinais...

·       O Rei Salomão ao elogiar sua amada noiva, a comparando a um Jardim;  em seguida, descreve este jardim...e toma cada árvore deste lindo Jardim...para falar de sua noiva.

·       Não temos dúvida do amor de nosso amado Noivo(Jesus), que vê a Igreja como o seu Jardim...Ele está dizendo – primeiro....


1.    NO JARDIM TEM ROMÃS – Ct 4.13

a)   A Romã é uma fruta medicinal – Ela é antibacterial ,antioxidante

-Como antibacterial – A romã combate infecções
. A Igreja deve ser uma combatente contra o mal, contra o pecado, contra a corrupção, contra tudo que se opõe a Deus.

.Quando uma igreja não combate as infecções espirituais, é porque já está infectada, já está doente.

.A Igreja deve ser agente de cura, saúde e vida

-Como antioxidante – a romã é antioxidante
.A Igreja é a faxineira do mundo. Onde chega, começa a limpeza.
.Prostíbulos, lupanares, botequins...boca de fumo se fecham..

 – Porque a Igreja chegou para ser um divino instrumento de limpeza.

 

2.    NO JARDIM TEM CIPRESTE -  Ct 4.13

a)   O Cipreste é uma árvore frondosa e viçosa – que chega a medir até 30 metros de altura.

b)  Que lições espirituais nos dá o cipreste...

1ª.) Sua madeira não apodrece – Gn 6.14
- Como a Arca estava nas águas – A Igreja está no mundo.  As águas do dilúvio não apodreceram a Arca...o cipreste resistiu.
- Há crentes que por deixarem o pecado entrar...apodreceram

2ª.) Sua madeira é flexível
- É uma madeira macia...fácil de se trabalhar...É flexível
- Você já conheceu alguém inflexível...Que tristeza um patrão inflexível...Uma esposa inflexível ou esposo..

3º.) Sua madeira é leve
- O cipreste nos ensina a não sermos pesados a ninguém
- Você já conheceu alguém prevalecido...que se torna um peso...um encosto...e judia mesmo... E, o camarada não está nem aí...

3.    NO JARDIM TEM NARDO – Ct 4.13,14

- Que lições o nardo nos dá:

1ª.) O nardo tem um precioso perfume – Mc 14.3-9
- Fala de nosso bom testemunho – 2 Co 2.14

2º.) O nardo era usado na Antiguidade como um eficaz calmante
- Vivemos em um tempo de gente estressada, gente nervosa...
- Crentes agitados, crentes sem controle emocional...
- Esta gente agitada precisa tomar um chá do Nardo de Jesus, que disse: “Aprendei de mim que sou manso e humilde de coração.”


4.    NO JARDIM TEM AÇAFRÃO – Ct 4.14

a)   Duas finalidades do açafrão: A culinária e a Medicinal

-Primeira:  a finalidade culinária – como bom tempero
.Estamos nós temperando o ambiente onde estamos...Ou o ambiente é que nos tempera...  (Somos: Termômetro ou aquecedor...)
  
- Segunda: A finalidade Medicinal
Descobriu-se que o Açafrão é bom para depressão – É um antidepressivo.

- Irmãos, Deus quer nos ajudar a sermos como o açafrão – para ajudar tanta gente que já perdeu o sabor da vida, que não quer mais lutar, que quer dar cabo de sua vida – Deus quer nos usar.
    

5.    NO JARDIM TEM CÁLAMO – Ct 4.14

1.                Calámo – Também conhecida como cana aromática.
De sabor muito doce.
3.      Quantos crentes sem alegria. Sem vida porque estão tristes e abatidos.

2.    Crentes amargurados – Hb 12:15; Ef 4:31; At 8:23

a)   O nome de Jesus é doce
b)  A Palavra de Deus é doce – Sl 119.105
c)    O Espírito Santo é doce –

6.      Sorria! Meu irmão, você foi batizado nas águas ou no vinagre ?      Sinta a doçúra do Nome de Jesus, da Palavra de Deus e doEspírito de Deus.


3.    NO JARDIM TEM CANELA – Ct 4.14

1.                A canela possui o seu grande valor aromático

2.                A canela nos tempos antigos era usada para aquecer os viajantes, soldados, peregrinos em noites frias.


3.      Cuidado com a frieza espiritual:
a)      Não deixe o coração esfriar – Mt 24:12
b)     Não deixe a mão esfriar – Lc 6:38
c)      Não deixe os pés esfriarem – Hb 10:26
d)     Não deixe os lábios esfriarem – Hb 13:15

6.      Se você está vivenciando um quadro de frieza espiritual – Saiba, que nesta Unção há canela do céu para te aquecer – Mt 3:11

4.    E, o Senhor vai te aquecer de dentro para fora


7.NO JARDIM TEM ÁRVORES DE INCENSO – Ct 4.14

a)   Recebiam este nome porque eram árvores que forneciam o incenso.

b)  Fala de nossa vida de oração:
- Salmo 141.2  “Suba minha oração como incenso”
- Ap 5.8  “O incenso são as orações dos santos”



5.    NO JARDIM TEM MIRRA – Ct 4.14

1.      Mirra – uma pequena árvore, das regiões da Arábia e leste da África.   Sua madeira e principalmente a casca de precioso aroma.

2. A Bíblia enaltece o perfume da mirra:
.Salmo 45:8   “Todas as tuas vestes cheiram a aloés,  a acássia e a mirra, desde os palácios de marfim de onde te alegram.”

.Ct 6:3   “Quem é esta que sobe do deserto, como colunas de fumaça, perfumada de mirra ?...”
.A Mirra era tão preciosa – que era presente dado e recebido pelos reis -  Mt 2:11 – Os magos do Oriente deram a Jesus: Ouro, incenso e Mirra.

2.      A Mirra era usada como eficaz remédio – En razão do seu grande valor medicinal:(Ela tinha duas finalidades no curar os doentes):

a)     A Mirra tinha ação cicatrizante – Quando alguém se machucava, se feria nas guerras... 

1º) Não existe um ser humano, que tenha passado por esta terra sem se ferir...   (POR QUÊ ???) – Por causa de uma sentença divina:
- Gn 3:18   “Espinhos e cardos também te produzirá...”                   
. Com relação ao cardo – Planta daninha para a lavoura, que tem espinhos nas folhas.

2º) E como Igreja, nos ferimos durante o tempo em que peregrinamos – Quantas vezes sangram os nossos pés?
Quantas vezes sangra o nosso coração ? – Paulo(2 Co 12 – um espinho na carne que o fazia chorar)
.A Igreja cresce entre espinhos – Ct 2:2....Jo 16:33

3º) O lindo é que alguém levou os nossos espinhos todos – Jesus, nosso Salvador –

4º) Quantos de nossos irmãos que estão feridos – Com feridas profundas, feridas abertas, feridas que sangram, feridas que não cicatrizam.
.Feridas abertas pela frustração, pelo abandono, pelos ressentimentos, pela dor da perda, pela mágoa, pela amargura, pela traição de alguém...


5º) Aprecio a cura interior – Não nos moldes desta da Confissão positiva; não nos moldes do triunfalismo e nem segundo prega o movimento G-12.  Mas, creio na cura interior que Jesus realiza:
.Salmo 147:3 – “Sara os quebrantados do coração e liga-lhes as feridas.”     (cicatriza as feridas)
Lc 4:18  “O Espírito do Senhor é sobre mim, pois que me ungiu para evangelizar os pobres, enviou-me a curar os quebrantados do coração.”
.E curando o homem – com cura Integral – Ele tem uma caixa de primeiros socorros – Lc 10 – Ele é o Bom Samaritano  (As ataduras do amor – O vinho da Alegria – E o Azeite da Unção do Espírito)

6º) Há quanto tempo esta ferida está aberta irmão?Irmã?  O tempo não a cicatrizou, projetos, viagens,....e a ferida sangra e não cicatriza.


B) A Mirra tinha ação anestésica – Mc 15:23
1º) Era a anestesia, o anestésico conhecido desde priscas eras.    Conta a História, que Herodes o Grande, tinha em seu palácio uma piscina medicinal – cheia de óleo com mirra – Quando estava com o corpo cansado e dorido, mergulhava nela e sentia-se restaurado.
2º) Quando a dor era insuportável – Se ministrava mirra para se vencer a dor.


6.    O JARDIM TEM ALOÉS – Ct 4.14

a)  O Aloés  é medicinal
- Deus nos quer usar como agentes de cura
- Ilustração: (Pastor João Torrezan)


b)  O Aloés  tem ação cosmética e embelezadora
- Deus nos quer usar para mudarmos a cara feia deste mundo.


Pastor Marcos Antonio
Mensagem ministrada no templo sede da Assembléia de Deus (Ministério Ágape) em Curitiba, PR